Contratar funcionário: Quando é necessário?

Contratar funcionário: Quando é necessário?

A necessidade de contratar um funcionário se faz diante da expansão das atividades da empresa. Quando uma empresa entra em…

 | 

A necessidade de contratar um funcionário se faz diante da expansão das atividades da empresa.

Quando uma empresa entra em processo de expansão ou vê sua demanda aumentando, é necessário planejamento para continuar atendendo bem seus clientes.

Dentre as necessidades que podem aparecer estão: o aumento de estoque, expansão do espaço físico, e a que mais preocupa os empresários: contratar um funcionário.

Mas também pode ser necessária diante de outros fatores como: delegação das atividades sem a presença do chefe; reorganização dos setores; melhora na qualidade de prestação de serviços.

Cuidados

Antes de efetivar a publicação da vaga, alguns fatores devem ser avaliados.

Além dos custos que uma nova admissão deve trazer, os cuidados em seguir a legislação trabalhista é o que gera uma enorme dor de cabeça aos empresários atualmente.

Elaborar um contrato fidedigno com a função de cada funcionário é fundamental para blindar-se de possíveis reclamações trabalhistas no futuro.

Horário e local de trabalho, função e tarefas a serem exercidas, ambiente e transporte estão entre os principais motivos em que empregadores são acionados judicialmente.

Vantagens

Se por um lado há cuidados que devem ser tomados ao contratar um funcionário.

Também deve ser colocado na balança as vantagens que tal decisão pode trazer para a empresa.

Com toda a tecnologia disponível atualmente, a grande diferença de boas empresas é o capital humano, a forma de pensar e de atender seus clientes.

Um bom funcionário consegue detectar erros no processo, melhorar sua forma de atendimento e pensar em soluções que máquina nenhuma seria capaz.

Por isso, a escolha de um bom profissional passa por um detalhado recrutamento.

De modo que a decisão final possa entregar resultados significativos à empresa.

Tipos de Contratação – CLT

Como já vimos, ao contratar um funcionário no regime CLT, ou seja, com carteira assinada, alguns cuidados devem ser tomados.

Isso porque, a legislação trabalhista é muito complexa, sendo criada inicialmente para proteger empregados da exploração trabalhista que havia nos séculos passados.

Dessa forma, todo cuidado é pouco para não haver descuidos, mesmo que sem intenção, que ferem as normas de relação patrão-empregado.

Ao elaborar um contrato de trabalho, deve ser definido o local e horários a serem seguidos para a prestação dos serviços.

A descrição das atividades completas é fundamental.

O tempo de duração de um contrato também é importante.

Além do período de experiência, que pode ser de 30 dias renovado uma única vez para, no total, chegar a 90 dias.

Há possibilidade de contratar por prazo determinado.

Que pode ser por um período de até dois anos, eximindo o empregador da responsabilidade de comunicar por aviso prévio o momento da rescisão.

Caso o período seja ultrapassado, o contrato torna-se efetivo.

Um empregado em regime CLT tem direito ao salário base da categoria, férias, 13º salário, horas extras, DSR, adicional noturno, insalubridade e periculosidade, quando for o caso.

Além de todos os custos adicionais já conhecidos, como INSS e FGTS, que devem ser muito bem planejados no orçamento anual da empresa.

Toda a responsabilidade pela segurança e proteção do ambiente de trabalho também recai sobre a mesma.

Tipos de Contratação – PJ

As empresas, nos últimos, anos têm optado contratar funcionário pelo regime de contratação de Pessoa Jurídica para desempenhar atividades de determinados setores da empresa.

Por ser um regime com maior previsibilidade orçamentária e segurança jurídica.

Porém, antes de decidir por essa opção, alguns fatores também devem ser considerados.

No regime de contratação PJ o prestador do serviço deve ser empresa, mesmo MEI, desde que a atividade a ser exercida seja permitida.

Ao elaborar o contrato de prestação de serviços, deve-se definir, de forma clara e objetiva, quais os serviços serão prestados pelo contratado.

Para que o mesmo não seja confundido com uma contratação CLT alguns cuidados devem ser tomados.

O que caracteriza uma relação de trabalho patrão-empregado é a subordinação, ou seja, seguir ordens.

Para que um contrato PJ não seja confundido com CLT, ele não deve ter cumprimento de carga horária fixa, por exemplo, ou seguimento de ordens de um superior. 

E mesmo que não esteja em contrato, essas exigências não devem ser cobradas no dia a dia do prestador do serviço, sob pena de ser confundido com uma admissão contratual.

Ao contratar um PJ, após descrito o trabalho a ser realizado, a segurança desse regime é a autonomia.

O contratado deve ter total liberdade de forma de trabalho, desde que especificados no contrato, para atingir os objetivos propostos.

Já os custos da contratação, nesse caso, devem ser melhor planejados por parte do contratado.

Já que o mesmo não terá direito a férias e 13º salário, e terá que pagar impostos sobre as notas fiscais emitidas para seu contratante, deverá diluir seus gastos em seu valor do contrato mensal.

Tipos de Contratação – Terceirizada

A contratação terceirizada se assemelha muito com a PJ, nos quesitos de não poder haver cobrança de cumprimento de horários e subordinação direta no dia a dia da empresa.

Havendo completa autonomia no desempenho das atividades propostas, podendo ser estabelecidos objetivos, forma de conduta e estipulação de prazos.

O contratado pode desempenhar suas atividades da forma que melhor lhe convém.

A principal diferença entre a contratação PJ e terceirizada, é que a contratação terceirizada pode ser feita com um profissional autônomo pessoa física, que deve ter total liberdade para desempenhar sua função.

Sob este, também recai a onerosidade do pagamento de encargos ao INSS.

Onde o responsável pelo recolhimento é a empresa, devendo a mesma descontar o valor do pagamento dos serviços realizados.

Conclusão

São diversas as formas de contratação de prestador de serviços, assim como seus custos.

Por isso, cada empresa deve avaliar bem suas necessidades e seu orçamento.

O giro de pessoal é uma grande preocupação das maiores empresas, devido à dificuldade e tempo gasto no treinamento e capacitação de uma equipe.

A contratação de um bom funcionário ou prestador de serviços é um dos diferenciais de uma boa empresa. Um bom sistema contábil também é peça fundamental.

Conheça mais sobre as ferramentas oferecidas pela Tron!

Tron Connect: A Ferramenta da Tron que conecta DP, Contabilidade e Colaborador. Evite erros e retrabalho e automatize a folha de pagamento dos seus clientes!

Os comentários estão desativados.